Skip to content

La Liga: Com doblete de Messi, tem início a Era Lucho #Rodada1

Messi brilhou na estréia

Messi brilhou na estréia

A ‘Era Lucho” se iniciou com vitória na estréia da Liga Espanhola 2014/2015. Com dois gols de Messi e um de Munir, o Barcelona venceu o Elche por 3 a 0, neste domingo.

Jogando no Camp Nou, o conjunto blaugrana trouxe novas caras no time titular. Com as presenças de Bravo no gol, Mathieu na defesa e Rakitic no meio, a equipe se portou bem na abertura do certame.

Dominando a posse de bola, como de costume com os treinadores anteriores, o Barça tentava furar a forte retranca adversária, e criou boas chances com Munir e Iniesta, que acertaram os postes de Tyton, aos 21 e 32 minutos, respectivamente.

Quando parecia que o duelo chegaria ao intervalo sem gols veio o primeiro tento culé. Após bola recuperada no ataque, Messi recebeu, fintou o marcador de primeira e, já na área, bateu de esquerda, cruzado, abrindo o placar. Com a vantagem tudo caminhava perfeito para o segundo tempo, entretanto, após chutão, Busquets cortou mal e a bola sobrou para Rodrigues. O atacante acabou derrubado por Mascherano, que recebeu o vermelho por impedir chance clara de gol, aos 44 minutos.

 

Com um a menos, Luis Enrique colocou Bartra no lugar de Rafinha, para compor a defesa na etapa final, recuando um pouco Rakitic para fortalecer o meio. No entanto o croata teve pouco tempo para se focar na marcação, pois logo no primeiro minuto do segundo tempo deixou Munir na cara do gol. Aproveitando o belo lançamento, o canterano definiu com categoria, ampliando a vantagem.

Demonstrando muita vontade e intensidade, o conjunto azul grená nem parecia ter um homem a menos. Com superioridade dentro de campo, os catalães chegaram ao terceiro gol aos 18. Após tentar tabela com Dani Alves, Messi ficou com a sobra e, mostrando tranquilidade, acertou o canto direito de Tyton, dando números finais ao bom jogo.

Ficha técnica:
Estádio: Camp Nou.
Público: 68.105 espectadores.

Barcelona:
Bravo; Dani Alves, Mascherano, Mathieu, Jordi Alba, Sergio Busquets, Rakitic, Iniesta (Sergi Roberto, m.78), Rafinha (Bartra, m.46), Messi y Munir (Pedro, m.67).

Elche:
Tyton; Damián Suárez, Lombán, Pelegrín, José Ángel (Álvaro, m.54), Albacar, Mosquera, Pasalic (Adrián, m.80), Rodrigues, Coro (Fayçal, m.65) y Jonathas.

Gols:
1-0, m.42: Messi. 2-0, m.46: Munir. 3-0, m.63: Messi.ssi.

Anúncios

Liga Espanhola – No Bernabéu, Messi marca três e Barça vence Real Madrid

Barcelonistas comemoram, enquanto Ronaldo lamenta

Barcelonistas comemoram, enquanto Ronaldo lamenta

Há 4 pontos do Real Madrid o Barcelona precisava ir à capital espanhola em busca da vitória. Durante as semana os craques blaugranas disseram precisariam de coragem para vencer os merengues. Foi justamente o que houve no superclássico deste domingo. Em uma partida espetacular, o culés bateram o Real Madrid por 4 a 3, com três tentos de Messi, que ainda serviu Iniesta em seu gol. A vitória levou o Barça aos 69 pontos, um atrás dos líderes.

Quente, o jogo teve logo em seu começo chances de gol. Primeiro, aos 3 minutos, Messi deixou Neymar em condições de marcar, no entanto o brasileiro finalizou fraco. Pouco depois o argentino encontrou Iniesta na área. O camisa 8 dominou e finalizou forte, de canhota, anotando o primeiro tento do jogo.

 

Atrás no marcador, quem demonstrou personalidade foram Di María e Benzema. Primeiro o argentino cruzou da esquerda para o atacante cabecear para o fundo das redes, empatando o jogo aos 19 minutos. Pouco depois, Dí Maria chegou ao fundo pela esquerda e cruzou para Benzema. Com frieza, o matador dominou e colocou os merengues à frente no marcador. Aos 25 só não veio o terceiro do avante merengue por que Piqué salvou a bola sobre a risca fatal.

Pela pressão madridista, parecia que os merengues aumentariam logo. Foi então que surgiu a figura de Lionel Messi. Aos 42 minutos o camisa 10 encontrou Neymar na área. O brasileiro acabou sendo desarmado, entretanto a bola sobrou para argentino que mandou para o fundo das redes, deixando tudo igual.

Para o segundo tempo os times voltaram no mesmo ritmo. Logo aos 10 minutos Cristiano Ronaldo foi derrubado por Daniel Alves fora da área. No entanto o árbitro Alberto Undiano Malenco marcou pênalti, para desespero dos culés. Na cobrança o português foi fatal, deixando mais uma vez os merengues na frente.

Messi beija o escudo do Barça ao marcar o gol da vitória

Messi beija o escudo do Barça ao marcar o gol da vitória

Mas desta vez os blaugranas não se apavoraram. Aos 20 minutos Messi, mais um vez, deixou Neymar na cara do gol. O brasileiro dominou na área e foi tocado por Sergio Ramos. Novamente o mediador anotou pênalti e ainda expulsou o zagueiro merengue. Preciso, Messi deixou tudo igual.

Com um jogador a mais, os barcelonistas passaram a dominar o duelo, até que, aos 32, Xabi Alonso cometeu pênalti infantil em Iniesta. Demonstrando mais um vez sua categoria, o argentino acertou o ângulo, dando a vitória aos barcelonistas e anotando seu 21° tento contra os merengues.

La Liga: Com show de Messi e Iniesta, Barça atropela Rayo

Messi comandou o show culé

Messi comandou o show culé

Com grande atuação de Messi, autor de dois gols, e Iniesta, o Barcelona não tomou conhecimento do adversário deste sábado, o Rayo Vallecano, goleando por um impiedoso 6 a 0 no estádio Camp Nou. A partida, válida pela 24° rodada da Liga Espanhola, ainda teve como destaque o retorno de Neymar, que não atuava desde o dia 16 de janeiro. Com a vitória, os culés chegaram aos 60 pontos e dividem a liderança com o Atlético de Madri.

A vitória blaugrana começou a se desenhar cedo. Logo aos 2 minutos Adriano fez boa jogada pela esquerda, cortou para o meio e, de direita, mandou para o fundo das redes. À frente, os donos da casa continuaram jogando ofensivamente e acertaram duas bolas na trave, com Messi e Pedro, respectivamente. Mas o segundo gol só veio aos 36 minutos. Depois de linda assistência de Fàbregas, Messi ficou cara a cara com o goleiro Rubén. Com muita categoria o camisa 10 encobriu o guarda metas e anotou um golaço.

Com a vitória na mão, o Barça voltou com o mesmo ímpeto para a segunda metade do duelo. Logo aos 8 minutos Alexis Sánchez recebeu de Messi e finalizou com categoria, anotando o terceiro. Pouco depois veio mais um lindo gol. Após tabela com Iniesta, que contou com um belo passe de letra do camisa 8, Fàbregas serviu Pedro que teve apenas o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Sem dificuldades, o time azul grená chegou ao quinto tento aos 23 minutos, mais uma vez com Messi. Depois de receber bom passe de Sánchez, o craque argentino acertou bom chute de esquerda, sem chances para o goleiro. Antes do final do cortejo ainda houve tempo para Neymar marcar. Primeiro o brasileiro se livrou do seu marcador no meio de campo e, após ótima arrancada, finalizou de fora da área no ângulo, fechando o massacre com chave de ouro.

Fim de uma Era e problemas contra grandes preocupam culés

“Todo começo tem um fim”, a batida frase vale para todo grande time da história do futebol. Foi assim com o Santos de Pelé, Real Madrid de Di Stéfano e, visivelmente, também ocorre com o Barcelona, que marcou o começo do século com a equipe fantástica de Messi e Pep Guardiola.

Messi e Guardiola comandaram o vitorioso Barça

Messi e Guardiola comandaram o vitorioso Barça

Após três temporadas vitoriosas, o conjunto Blaugrana já não demonstrava a mesma supremacia em 2011-2012, última temporada com o vitorioso treinador à beira do gramado. Dependendo muito de Messi, os catalães sucumbiram diante do Real Madrid na Liga Espanhola e caíram diante da retranca e eficientes contragolpes do Chelsea na UCL, tendo que se contentar com a conquista da Copa do Rei.

Sem Pep, quem assumiu o comando foi Tito Vilanova, que, logo de cara, perdeu a Supercopa da Espanha para os merengues. Mesmo assim a equipe conseguiu uma campanha excelente na Liga, ainda que sem apresentar o mesmo futebol encantador das três temporadas anteriores. O decantado Tiki Taka já não demonstrava a mesma eficiência. Sem a verticalidade de outrora, cabia a Messi se encarregar de quase tudo nos momentos de dificuldade, algo pesado demais, até para um gênio.

Irregular, Piqué lamenta gol contra em derrota para o Bayern

Irregular, Piqué lamenta gol contra em derrota para o Bayern

A boa campanha no torneio nacional acabou sendo desmascarada na semifinal da UCL, quando o conjunto blaugrana foi humilhado pelos alemães do Bayern de Munique. Com seu futebol moderno, forte e objetivo, os bávaros não deram chances aos barcelonistas, que, para piorar o panorama, foram surpreendidos com a contusão de Messi. Sem o craque argentino nas melhores condições, os culés sucumbiram por 4 a 0 em solo alemão e, para sacramentar a crise, foram engolidos também no Camp Nou (sem a presença de Messi) por 3 a 0. O agregado de 7 a 0 no confronto escancarou os problemas táticos da equipe, que eram por vezes mascarados pela boa campanha doméstica, em um campeonato que apresenta um nível baixo, se comparado com outras ligas europeias.

2013-2014, seguem os problemas

Para a atual temporada os catalães contrataram um novo treinador. O argentino Tata Martino assumiu o comando da equipe no lugar de Tito Vilanova, que teve que desistir do cargo devido a sérios problemas de saúde. De brinde, o novo técnico recebeu a contratação do genial atacante Neymar, dando esperanças de novos rumos aos culés.

Tata Martino foi eleito o novo comandante culé

Tata Martino foi eleito o novo comandante culé

No entanto o nível do futebol não se alterou muito. Mesmo dando maior objetividade ao time, deixando um pouco de lado o Tiki Taka de Guardiola, Martino manteve a base da equipe, jogando com dois meias e três atacantes. Para piorar, Messi perdeu metade da temporada devido a outra lesão. Coube então a Neymar (bem coadjuvado por Alexis Sánchez e Fàbregas) comandar a equipe até o meio da temporada, deixando os blaugranas vivos nas três competições que disputa.

Mas o problema que se apresenta no momento (metade da temporada) é semelhante ao da temporada anterior. A boa campanha na liga doméstica, com adversários fracos, não dá confiança para partidas contra oponentes mais fortes. Visto que em partidas contra equipes que demonstraram mais intensidade (como o Atlético de Madrid) os blaugranas sofreram na retaguarda e demonstraram dificuldades em penetrar sistemas defensivos mais sólidos, muito pela falta de variação nas jogadas, que por vezes morrem nos pontas, sobrecarregando Messi, sempre bem marcado como falso nove.

Às portas do confronto de oitavas de final da UCL, o time barcelonista ainda sofre com jogadas de bola aéra. Com Xavi já sem o mesmo vigor físico e Iniesta sofrendo com lesões e sem a mesma regularidade de outrora, o Barcelona novamente se vê dependendo de Messi, já que não pode apostar em Fàbregas, Sanchez e Pedro, que até hoje não demonstraram capacidade para decidir partidas de grande nível, e nem em Neymar, atacante que vive sua temporada da adaptação.

Para próximas temporadas, a equipe deve ser basear nos três maiores expoentes

Para próximas temporadas, a equipe deve ser basear nos três maiores expoentes

Para piorar, o adversário no torneio europeu será o Machester City, time que possui um ataque avassalador e também um consistente meio de campo, comandado pelo excelente Yaya Touré. Com problemas na defesa, que não conta com o lesionado Puyol, e dificuldades de criação, as previsões para o duelo não são das melhores. Claro que, com jogadores como Messi, Neymar e Iniesta, o conjunto catalão pode sim passar e até mesmo sagrar-se campeão de tudo novamente, porém, fica evidente que algo precisa ser feito, seja alguma alteração tática (medida para a atual temporada) ou, para 2014-2015, a contratação de jogadores pontuais, como um novo meia para o lugar de Xavi, um zagueiro seguro e um atacante de ponta, que possa chamar e responsabilidade e decidir, ao lado do sempre presente Messi e, esperamos, de um Neymar com mais bagagem e decisivo.

Supercopa da Espanha: Barça arranca empate com gol de Neymar

Neymar comemora seu gol salvador

Neymar comemora seu gol salvador

Jogando fora de casa, o Barcelona conseguiu um bom resultado na partida de ida da Supercopa da Espanha, ao empatar em 1 a 1 com o Atlético de Madri. Em seus domínios, os colchoneros saíram na frente logo no início, com Villa. Sem demonstrar seu melhor jogo, o Barça contou com a estrela de Neymar, que entrou na segunda etapa, para deixar tudo igual. Agora as equipes voltam à campo na próxima semana, onde o Barcelona poderá jogar por um empate sem gols para erguer a taça.

A partida começou com os culés tentando impor seu tradicional toque de bola. No entanto a equipe da capital espanhola demonstrava muito empenho, dificultando as ações barcelonistas. Marcando forte, o Atlético ainda conseguiu abrir o placar, aos 12 minutos. Após belo contragolpe, Villa recebeu cruzamento da esquerda de definiu de primeira, anotando um golaço.

Atrás do marcador, o time catalão ainda sofreu mais um forte golpe, ao perder Messi no intervalo, por conta de uma lesão muscular. Para seu lugar o treinador Martino mandou Fàbregas a campo. Sem resultado, o argentino então resolveu trocar Pedro por Neymar. A substituição surtiu efeito em apenas oito minutos, quando o brasileiro recebeu lindo cruzamento de Dani Alves, da direita, e escorou de cabeça, entre o goleiro e a trave, empatando o duelo.

Após anotar o Barça se fortaleceu, levando trabalho para a defesa oponente. Entretanto, as ações ofensivas não culminaram na virada e, com isso, o placar de igualdade permaneceu até o apito final.

Champions League: Barcelona faz milagre, goleia Milan e vai às quartas

Messi bate com categoria...

Messi bate com categoria…

Após perder por 2 a 0 em Milão, poucos acreditavam que os culés conseguiriam reverter o resultado no Camp Nou e avançar às quartas de final de Champions League. Entretanto, o Barcelona esqueceu a fase ruim e demonstrou o velho estilo barcelonista. Como resultado veio uma histórica goleada por 4 a 0, garantindo a vaga ao time catalão e também devolvendo a confiança ao time.

... e não dá chances a Abbiati

… e não dá chances a Abbiati

Precisando de um milagre, nada melhor do que contar com um gênio. Foi assim que o primeiro gol veio, logo aos 5 minutos. Após tabelar com Xavi, Messi recebeu na meia lua, dominou ajeitando para a canhota e acertou o ângulo de Abbiati, que nem se mexeu. Pouco depois, após finalização de Iniesta, o argentino quase aumentou em cabeçada perigosa.

Jogando à sua maneira, o Barcelona controlava o jogo, levando sempre perigo aos italianos, que, ainda tiveram uma chance de ouro. Aos 39 Niang saiu na cara do gol, no entanto acertou a trave de Valdés. A infelicidade milanista custou caro. No lance seguinte Messi recebeu de Iniesta na entrada da área e finalizou firme, devolvendo o placar de ida.

O resultado levava a partida para a prorrogação e também deixava o jogo nervoso. Em caso de mais um gol culé, os catalães ficariam muito perto da vaga. Por outro lado, um tento do Milan aproximaria os rossoneri das quartas. Foi nesse clima tenso que apareceu David Villa. Aos 10 minutos o asturiano recebeu de Xavi e, com muita categoria, colocou de esquerda, sem chances para o goleiro.

Com o placar que precisava, o Barcelona passou a se conter, buscando ficar com a bola nos pés. Enquanto isso o Milan se mandou ao ataque, criando boas oportunidades que pararam na defesa culé, praticamente impecável nesta noite. Bem encaixado na defesa, os blaugranas ainda selaram a vitória nos acréscimos. Após recebe excelente passe de Sánchez, Alba dominou e definiu com precisão, fechando uma vitória histórica e garantindo o renascimento barcelonista na competição.

Liga Espanhola – Barça massacra Getafe e aumenta liderança

Iniesta foi destaque na partida

Iniesta foi destaque na partida

Neste domingo o Barcelona acordou mais cedo para massacrar o Getafe, pela Liga Espanhola. Mesmo com início do jogo marcado para o meio dia, os catalães não dormiram no ponto e anotaram 6 a 1 contra o time de Madrid. A vitória colocou o time culé com 12 pontos de vantagem sobre o vice líder Atlético, que perdeu por 2 a 1 para o Rayo Vallecano.

Aceso desde o primeiro lance, o Barça foi às redes logo aos cinco minutos. Após passe perfeito de Iniesta, Alexis Sánchez dominou de direita e finalizou com a canhota, no contrapé do goleiro. Pouco depois Iniesta, mais uma vez preciso, encontrou Thiago na área. O filho de Mazinho recebeu e ajeitou para Messi mandar a bomba, marcando o segundo gol barcelonista. Com boa vantagem os balugranas tiraram o pé do acelerador, mesmo assim ainda acertaram a trave com Messi, aos 31.

Após criar boas chances, o terceiro tento veio somente na segunda etapa. Aos 13 minutos Alba enfiou para Villa. Aproveitando a indecisão do goleiro, o camisa 7 apenas tocou entre as pernas do guarda metas.  Aos 33 foi a vez de Tello anotar, após receber bom passe de Messi e finalizar com precisão.

Perdido em campo, o Getafe ainda diminuiu com Álvaro, porém, sofreu mais dois gols. Primeiro, aos 45, Iniesta pegou sobra de jogada individual de Messi e finalizou com categoria. Depois, no minuto final, Dani Alves encontrou Thiago na área. Mais uma vez o camisa 11 foi solidário e deixou Piqué livre para dar números finais ao passeio azul grená.